Moçambique vai aproveitar experiência do Botswana

Data: 27/04/2017

O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, afirmou que Moçambique pode aproveitar a experiência tswana na indústria de mineração, um sector no qual aquele país possui uma experiência invejável, particularmente na exploração de diamantes.

O interesse de Moçambique surge, segundo o Chefe do Estado, porque na área de geologia e minas o Botswana é uma potência não só em África, mas também no mundo.

“Moçambique tem estado a descobrir a ocorrência de alguns recursos minerais. Precisamos de partilhar conhecimento para o aproveitamento de potencialidades em toda a cadeia de valor e o Botswana possui uma experiência invejável”, disse o estadista moçambicano.

Para o Presidente Nyusi, a produção e processamento de diamantes é uma área de interesse para Moçambique, e propícia para o incremento da cooperação entre os dois países.

Falando das potencialidades do país, o Chefe do Estado arrolou as áreas de eleição do governo moçambicano, para a operacionalização do Programa Quinquenal 2015-2019, e que também visam aumentar a produção e produtividade.

As áreas em referência são os sectores da agricultura, de infra-estruturas, da energia, e do turismo, que  associadas a outras, como a pecuária, pesca, recursos minerais e indústria, assumem-se como sendo de elevado interesse e de dimensão estratégica.
Na agricultura, eleita pelo governo como a base de desenvolvimento, o ambiente de negócios é extremamente aliciante de acordo com o estadista moçambicano.
“Oferecemos muitas vantagens legais para investidores; preços bonificados para o uso de energia, isenção na importação de insumos, um mercado ainda sedento, entre outras vantagens para o investidor”, disse.

Sobre o sector pecuário, o Presidente da República referiu que este poderá beneficiar da larga experiência do Botswana na criação de gado em moldes industriais, e em toda a sua cadeia de valor, produzindo leite, carnes e desenvolvendo a indústria de curtumes.
A construção de estradas, linhas férreas, infra-estruturas hídricas, habitação, comunicações e outros, é o sinal que a área de infraestruturas dá aos investidores sobre a vontade do Governo de facilitar o ambiente de negócios, e quanto à produção de energia, o Presidente Nyusi garantiu que existe um potencial de produção nacional altamente elevado com garantias de mercado, tanto a nível nacional quanto regional.

Para o caso do turismo, que o Chefe do Estado considera  como um tesouro por desvendar, disse que Moçambique possui uma linha costeira com uma extensão superior a 2.500 quilómetros, dos quais menos de 25 por cento são explorados.

Mostrando a penetração do investimento tswana em Moçambique, o estadista moçambicano disse que já existem alguns empresários tswanas a investir em Moçambique, mas que o governo quer mais.

“Nos últimos cinco anos foram aprovados oito projectos de investimento directo tswana nos sectores de turismo, indústria, construção e serviços, com uma previsão para a criação de 257 postos de trabalho”, afirmou.

O estadista moçambicano referiu que o governo continua a incentivar e a atrair o investimento do sector privado, e  para o efeito o Executivo continua a trabalhar na melhoria do ambiente de negócios, com destaque para o estabelecimento da paz efectiva em todo o território nacional.
Também tem estado a conceder incentivos fiscais e aduaneiros e a estabelecer zonas economias especiais e zonas francas industriais. As medidas incluem ainda a simplificação de procedimentos burocráticos para a abertura de empresas e concessão de licenças.