PR reafirma posição contra surgimento de governos não democraticamente eleitos

Data: 10/08/2023
 
294

Maputo, 10 de Agosto de 2023 – O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, reafirmou hoje a posição de Moçambique de condenar e desencorajar o surgimento de governos não democraticamente eleitos em África e não só, mantendo desta feita a já expressa posição da União Africana neste sentido.

O Presidente falava em conferência de imprensa conjunta no quadro da visita de Estado que o seu homólogo queniano, William Ruto, efectua ao país desde esta quinta-feira.

“Reflectimos sobre o conflito no Sudão, que, imediatamente, desencorajámos e mantemos as posições da União Africana. O surgimento de governos não democraticamente eleitos não se pode permitir. O mundo evoluiu e está numa fase em que os poderes são transferidos pacificamente através das eleições, e não se pode dar ao luxo um país atrasar o crescimento que a África está a evoluir e de forma inconstitucional”.

As conversações entre os dois estadistas foram além de questões internas africanas, atingindo patamares internacionais, mais concretamente sobre o conflito russo-ucraniano. Os dois governantes tomaram posição unânime a reafirmar que não se deve permitimos que haja matanças.

“ Vidas não se podem perder por qualquer que seja a razão, ou mesmo destruições do património cultural e das grandes cidades”, referiu o estadista moçambicano.

Por seu turno, William Ruto referiu que a África é um continente democrático e com credenciais suficientes para que possa gerir assuntos dos países com legitimidade que vem do povo através das eleições democráticas.

“Esta é a única mudança única do governo através de eleições democráticas que garantam a aspirações não só dos nossos países individuais, mas também da vontade colectiva das pessoas deste continente. Deve-se parar com aqueles que querem recorrer às armas para gerir assuntos dos países e do nosso continente”, disse o estadista queniano.