PR INAUGURA INFRAESTRUTURAS MODERNIZADAS DO PORTO DE NACALA

Data: 09/10/2023
PR INAUGURA INFRAESTRUTURAS MODERNIZADAS DO PORTO DE NACALA

Nacala (Moçambique), 07 de Outubro de 2023 – O Porto de Nacala, no distrito com o mesmo nome na província de Nampula, acaba de se ajustar ao novo contexto de gestão do sistema portuário de padrões de eficiência mundiais, mercê do investimento realizado para reduzir o tempo de manuseamento de carga e aumentar a sua produção e produtividade.

Nestes termos, o Malawi e a Zâmbia, a par de outros países da região, afiguram-se como clientes prioritários e estratégicos no uso do novo Porto de Nacala, que passam a partir de já a se beneficiar de uma maior eficiência no manuseamento de carga e descarga, fruto de novos equipamentos e tecnologia de gestão instalados após uma profunda reforma que consistiu na reabilitação, ampliação e modernização para responder às exigências do momento.

O Presidente da Républica, Filipe Jacinto Nyusi, inaugurou hoje esta infra-estrutura portuária numa cerimónia que contou com os estadistas malawiano e zambiano, respectivamente Lazarus Chakwera e Hakainde Hichilema

Na ocasião, o estadista moçambicano disse que a presença dos seus homólogos malawiano e zambiano conferia ao Porto de Nacala a magnitude de um empreendimento estruturante da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) com o potencial muito significativo de alavancar o crescimento económicos dos três países e da região.

Mereceu também menção especial o Governo japonês, representado naquela cerimónia pelo vice-ministro dos Negócios Estrangeiro, Hosaka Yasushi, pelo seu papel no desenvolvimento do porto, uma presença que, para o estadista, representa o compromisso deste país com a implementação de projectos regionais integrados na região através da sua Agência de Cooperação Internacional (JICA).

O Chefe de Estado sublinha que a integração económica da SADC passa pelo desenvolvimento de infra-estruturas de transporte que promovem a conectividade entre os países da região e a ligação destes ao mercado global.

É assim que considera que com a cooperação do Malawi e da Zâmbia vislumbra-se, a breve trecho, que as vantagens logísticas do Porto de Nacala e do complexo ferroviário a que se associa venham a ter efeitos na actividade económica dos diversos sectores.

“É também significativo particularmente pela abertura de Moçambique, Malawi e Zâmbia aos mercados externos nos dois sentidos, o da exportação e importação, com impacto na geração de mais rendimentos e melhoria das condições de vida dos nossos povos”.

Aliás, no contexto da integração regional, o estadista destaca que Moçambique desempenha um papel fundamental como resultado da sua localização estratégica, onde se notabilizam os corredores logísticos de Nacala, Beira (Sofala) e Maputo, além do que considera porto modesto de Pemba, em Cabo Delgado.

Sobre o novo porto, o Presidente quer que este se traduza em investimentos num ambiente mais competitivo que incremente as nossas capacidades produtivas”, razão pela qual os três Chefes de Governo assinaram naquela cerimónia inaugural o acordo institucional do Corredor de Nacala, visando fortalecer a cooperação e fomentar o desenvolvimento da região, representando a introdução de um novo paradigma da gestão do porto numa abordagem tripartida.

O novo Porto de Nacala permite o aumento da capacidade de manuseamento do volume de carga dos de 100 mil TEU’s (contentores) para 252 mil TEU’s por ano, o que representa um crescimento na ordem dos 152 por cento, espetando-se um aumento da capacidade de armazenamento em oito mil TEU’s, bem como a atracação de navios de grande porte.